EnglishPortuguêsEspañol

Entrevista com Raiden!

março 13, 2021

Luna: Estamos na terceira semana de entrevistas da CBCR e hoje estou com o Raiden que é o CEO das equipes Dark Raiden e Orion Esports e hoje vai falar com a gente sobre a campanha da equipe Dark Raiden na CBCR. Raiden seja muito bem vindo! Olhando o retrospecto de vocês, perderam o primeiro jogo pra Fox e o segundo pra Team Espectros por 2 a 0 e depois vieram de duas derrotas de 2 a 1 pra Team Hawk e Gangue de Elite… explica pra gente como que funciona o trabalho da staff junto aos jogadores para reverter um momento difícil como esse em uma competição.
Raiden: Mais do que trocar jogador, que é a solução mais óbvia, precisamos recuperar o psicológico dos jogadores. Vou dar como exemplo o Vingador, ele está no meu time e também em outra equipe em outras competições. No mesmo dia que perdeu no 1v1, ele limpou o Rei da Mesa e ganhou o 1v1 em jogo da outra equipe. É um jogador conhecido que está na série B e poderia até estar na série A. Temos a pressão de jogar a CBCR, que é a competição do cenário que todos esperam jogar, e uma pressão ainda maior no jogador que vai para o rei da mesa e 1v1 e trabalhamos com os jogadores para que aos poucos eles venham conquistando espaço na equipe. Nunca coloco de cara um jogador que não conheço para fechar o Rei da Mesa e o 1v1.
Para a CBCR não tivemos tempo de testar tanto os jogadores, e acredito que fiz algumas escolhas que não foram tão boas, o que estou tentando corrigir agora. O trabalho principal é um trabalho de motivação, de cuidar do psicológico e pra isso temos conversado muito com os jogadores individualmente.
Apesar de termos terminado perdendo a última rodada, percebemos uma melhora no time e a perspectiva que eu tenho para o retorno é de no máximo uma derrota , ganhar todos os outros jogos e classificar. É o que acho que vai acontecer a partir desse trabalho psicológico e das substituições que fizemos.

Luna: Realmente, vocês conseguiram dificultar um pouco nos últimos jogos, mesmo perdendo. Podemos contar com mudanças no Dark Raiden nessa próxima rodada da CBCR?
Raiden: Sim, desde a última rodada já estava fazendo seleção e analisando as opções disponíveis no mercado, que são poucas porque ou você paga muito caro por um jogador conhecido, ou você aposta. Eu vou de aposta, com a chegada do Victor, que já jogou em vários times de Clash Royale, já jogou CRL e é conhecido por todos mas como estava parado, é uma aposta. Nós normalmente trabalhamos em revelar talentos, mas dessa vez acredito que principalmente no aspecto psicológico, a chegada do Victor vai fazer a diferença, não só pelo nível dele como estrela do time, mas ele estar ao lado dos demais jogadores já está empolgando mais a equipe e por isso calculo que ou ganhamos todos ou perdemos um jogo.
Luna: Amanhã é o jogo de volta, contra a Fox, o que você espera dessa partida?
Raiden: Eu espero o que eu sempre quero, 2 a 0 pra gente. Não podemos deixar chegar no terceiro set, a carga emocional necessária pra jogar o 1v1 o último set é muito grande e não é pra qualquer jogador, é muito difícil ter equilíbrio e tranquilidade pra jogar esse set. Aliás é o que tenho estudado vendo o Airsurfer, na série A, porque é um jogador que tem frieza e calma, consegue ter visão e controlar o jogo em momentos difíceis. Estamos trabalhando isso com nossos jogadores, pra ajudar eles a terem essa frieza, visto que a série B está com um nível altíssimo, com jogadores que poderiam estar na série A inclusive. Antes todo mundo pensava que era mais fácil estar na série B pra ganhar premiação e hoje isso já está mais equilibrado.
Gostaria de parabenizar toda a equipe da Copa na organização da CBCR, estão de parabéns.

Luna: Você disse que é difícil conseguir jogadores. Vemos que acontece muito de se montar uma equipe pra determinada competição. O que você acha que falta no cenário para que as equipes consigam manter sua base de jogadores e diminuir essa rotatividade?
Raiden: As pessoas responderiam investimento, mas não temos investimento, não temos patrocínio ou como pagar salário. Tenho o costume de manter a base, por exemplo tenho o BrHue que está comigo a mais de dois anos, o André está a mais de um ano… tenho uma base forte e penso pra competição em colocar um jogador que vá se destacar.
Tem times que são montados pra CBCR mas que não vão durar, não tem como manter, falta unidade, falta sentimento de pertencimento às vezes e é isso que tento colocar no meu time. Eu cobro, sou muito direto e decido quando tem que decidir. Quando o time perde, a responsabilidade é minha, quando o time ganha, as honras são dos jogadores. O que nos fez ter a manutenção do time, sendo o Dark Raiden o time mais antigo no cenário, é a sensação de grupo, somos uma família, cuidando mesmo de assuntos pessoais, sejam quais forem. Quando a gente tem confiança um no outro, seja pro jogo ou pra vida, isso faz a gente conseguir ter essa estrutura.

Luna: Quais times hoje você enxerga na final da série B?
Raiden: Acho que a série B, diferente da série A, está muito equilibrada. Acho que até o meu time, que perdeu todos os jogos até agora, tem chance de ser campeão Eu tenho os pés no chão pra saber não vai ser, até porque não faço um trabalho no Dark Raiden para que seja campeão, a minha preocupação sempre é amadurecer e formar esses jogadores para que consigam subir para o time principal e lá sim ser campeão. O Orion na CBCR sempre vai brigar pelo título. O Vingador é um jogador que tenho trabalhado a bastante tempo e hoje ele é humilde, é um dos que mais motiva o time e tem um sentimento de grupo que poucos jogadores tem, o que ele não tem conseguido muito é usar a pressão que ele recebe, de forma positiva, mas ele tem tudo pra ser um excelente jogador e jogar em qualquer time, é uma das minhas apostas.
Não é só você ter dinheiro, às vezes você tem e gasta até mais dinheiro do que a própria premiação e não é porque você consegue trazer todos esses jogadores que vai dar certo. Eu nunca respondo às críticas ou ofensas que recebo, mas eu desafio qualquer um a ter mais resultado do que eu tenho, gastando o que eu gasto, porque eu tenho certeza que as pessoas não conseguem.

Luna: Tem mais alguma mensagem que você gostaria de deixar?
Raiden: Venho observando o quanto as pessoas tem sido desrespeitosas ao comemorar uma vitória, tanto na série A quanto na série B, a gente teve recentemente uma ofensa de cunho racista, temos pessoas fazendo piadas sexistas, às vezes no sentido de menosprezar, humilhar o outro e acho que brincadeira não aceita tudo, a gente precisa ter respeito. Eu posso chegar em um jogador e falar que eu vou ganhar, fazer piada com ele, brincar, mas sempre com respeito. Tive rivalidade com vários times e os times que eu tenho rivalidade, eu não falo nada quando acaba o jogo, em respeito à rivalidade que tenho. O Dudu por exemplo tinha tudo pra ser um excelente coach, gosto muito dele, agora está focado nos estudos. No dia em que nossos times jogaram nós estávamos conversando entre a gente, compartilhando sobre escalação e tudo. Quando o jogo acabou, a gente teve respeito um com o outro mas o time dele não teve respeito com a minha analista e aí ele estava junto, nesse desrespeito, e isso é o tipo de coisa que não pode acontecer. As pessoas acham que podem ter direito de expressão e isso dá direito a falar tudo, só que ele vai até o momento em que eu ofendo o direito, a liberdade e a moral de alguém. Não pode ter tolerância em relação a isso, temos uma responsabilidade social gigantesca.

Luna: Raiden, muito obrigada por participar e boa sorte nos jogos!
Raiden: Obrigado e parabéns pela competição.

Muito legal a conversa com o Raiden e esperamos continuar com essas entrevistas ao longo da CBCR!

Canal da Transmissão da CBCR:

https://twitch.tv/ecopagg

Para saber mais, fiquem ligados nas nossas redes sociais:

Twitter – twitter.com/ecopagg

Instagram – instagram.com/ecopagg/

Nos vemos na Arena!